Category: Inovação

IMG_0601
Inovação

Porque viver a experiência Campus Party?

Campus Party, o que é? Para algumas pessoas é um evento do calendário movimentado do ecossistema de inovação e tecnologia, onde é realizado novos contatos, demostrado novas soluções e fechados novos negócios, para outros é a realização do evento mais esperado do ano, a oportunidade de vivenciar experiências únicas, de encontrar amigos que até então estavam somente no virtual e principalmente um momento onde eles podem dar asas a imaginação e ser quem eles quiserem. Mas com toda certeza a grande maioria concordam que a Campus Party é um espaço de conhecimento, descobertas e experiências. Vou contar um pouco da experiência que tive a oportunidade de viver na última Campus, a CPGOIAS2.

A Campus Party Goiás 2, ou para muitos CPGoiáS2, foi a minha terceira campus, e não vou negar que ela teve um gostinho especial, tanto pelo convite que recebi para poder palestrar, quanto pelo fato da minha última Campus ter sido em 2018.

Minha história com a Campus Party começou em 2017 na CPMG2 essa foi a minha primeira campus, resolvi ir como campuseiro, viver toda a experiência de acampar durante cinco dias em um evento, lembro até hoje a referência da minha barraca, AA44.

Era fascinante tudo aquilo, as palestras, os conteúdos nas bancadas (comunidades de empreendedorismo do ecossistema de inovação de Minas Gerais), dos campeonatos de vídeo game madrugada a dentro nas bancadas e principalmente a felicidade na cara da grande maioria dos campuseiros, em poder vivenciar toda aquela experiência.

Já a minha segunda Campus Party foi em 2018, essa também foi muito especial, tive a oportunidade de ser voluntario, ver de perto toda a organização para a realização, fazer parte daquela equipe, foi fantástico.

Lembro que foram quatro dias de evento, eu estava na equipe do credenciamento, era muito bom ver a expressão de todos na chegada ao evento, dos inúmeros jovens que estavam eufóricos para entrar e vivenciar mais uma vez o fantástico mundo da Campus Party.

Nessa Campus também comecei a ver uma realidade que a grande maioria dos participantes não tem conhecimento, que são as inúmeras possibilidades que a Campus Party tem de negócios, principalmente para startups, como estava na equipe de credenciamento comecei a ver diversos empreendedores chegando para participar e tinha uma pergunta intrigante no cadastro, que era: “Qual seu objetivo na CPMG3?” E muitos respondiam que era para fazer novos negócios. Surgia aí uma outra visão em mim sobre a Campus Party.

Bom, mas chega de falar das histórias e vamos falar do agora, da CPGOIAS2, que foi a minha terceira experiência com a Campus, depois de quase quatro anos, com um outro olhar sobre o ecossistema formado pelos campuseiros, de ser convidado para viver um outro tipo de experiência, que é ser palestrante e principalmente de poder representar a Woli Ventures, que é a empresa que hoje eu trabalho.

Foi espetacular, fez renascer em mim novamente o espírito da Campus Party, e assim que chegamos no local, veio na minha cabeça todas as experiências anteriores com a Campus e com elas uma energia para aproveitar ao máximo os momentos, mas de uma forma diferente, com um outro olhar, um olhar para as oportunidades de novos negócios e assim fiz, foram quatro dias de Campus,

Nesses dias conversei com diversas pessoas e conheci soluções fantásticas que estão nascendo, fiz diversos tipos de conexões com empreendedores, investidores, lideres de comunidade e especialistas, tive a oportunidade de assistir alguns pitchs de soluções que nasceram ali na CPMGOIAS2 e principalmente assistir a diversos conteúdos inovadores e motivacionais, que fez recarregar todas as minhas energias e aprimorar meus conhecimentos para continuar realizando o principal objetivo da Woli Ventures, que é o desenvolvimento das startups do nosso portfólio.

Se eu puder fazer um balanço da Campus Party Goiás 2 e de todas as outras que tive a oportunidade de participar é que a Campus é um universo único que está aberto para todos os tipos de pessoas curiosas, que estão em busca de conhecimento, conexão e experiências, hoje eu falo com toda certeza que estou contando os dias para a próxima Campus Party, a CPBR14, espero você lá para vivenciar esse universo de oportunidades ooOoOOOoOoo.

Esse foi o depoimento de Rafael Magalhães – Agente de Inovação da Woli Ventures.

 

metodologias-ageis-trabalho-remoto
Inovação

Metodologia Ágil: na contramão dos tradicionais modelos de negócios

Por Leonardo Leão*

A busca por soluções e ferramentas que possam otimizar e agilizar processos através de inovação é hoje o grande desafio das empresas mais avançadas e startups. Especialmente estas, precisam de mecanismos que acelerem e potencialize, em escala, seus produtos e tecnologias. O gerenciamento dos projetos pode ser simplificado e mais eficiente com o uso de ferramentas que já existem e que podem ser aplicadas em todo e qualquer perfil de empresa que pretenda melhorar a sua gestão de um modo mais rápido e flexível.

A metodologia ágil é um conjunto de boas práticas usadas para melhorar a performance de uma empresa, o tempo e a qualidade dos serviços prestados pelas empresas. O pressuposto é alcançar, por parte das equipes, entregas cada vez mais rápidas, com melhor qualidade e mais alinhadas com o propósito da empresa.

Há alguns anos, esse tipo de metodologia era mais comumente aplicado apenas para equipes de softwares e desenvolvedores. No entanto, especialmente agora, na era de ascensão das startups e da transformação digital, é uma metodologia adaptada para se encaixar em qualquer perfil, incluindo em equipes de administrativo, de marketing ou mesmo de pesquisa & desenvolvimento.

Dentre as simples e utilizadas atualmente em mais de 70% do Brasil e em outros países da América Latina Argentina, Bolívia, Chile e Colômbia e no México, estão a Scrun, Lean, Kanban e SMART. Implantar uma dessas metodologias de maneira eficaz requer um conjunto de princípios e práticas que já foram observados em iniciativas bem-sucedidas em todo o mundo.

Os programas possibilitam que as organizações se reequilibrem quando a força de trabalho está improdutiva e desmotivada, com baixa na qualidade e na entrega, ou deixando passar oportunidades, aproveitando as técnicas para ajudá-las a se tornarem mais colaborativas e unificadas e gerência melhor suas capacidades.

Embora as metodologias não prescrevam práticas obrigatórias, melhores resultados são observados nas empresas em que as lideranças são incentivadas a motivar seus funcionários na resolução de problemas.

Com base na cultura de Open Innovation (inovação aberta), as empresas estão buscando soluções inovadoras no mercado e as desenvolvemos junto às startups. Para otimizar seus processos e facilitar a busca de melhorias, as empresas compartilham estrutura, know-how, canais de mercado, rede de mentores, serviços contábeis e jurídicos, entre outros necessários para o pré-lançamento, lançamento e desenvolvimento sustentável das startups, reduzindo os riscos de inovação e aumentando o impacto comercial dos empreendimentos.